Talvez

Continuar lendo

Publicado em Meias palavras | Marcado com , , | Deixe um comentário

24 anos

“As entradas do meu rosto
E os meus cabelos brancos
Aparecem a cada ano
No final de um mês de Agosto…”

[( Amanhã é 23 – Kid Abelha – Composição: George Israel/Paula Toller)]

Desde o dia em que conheci está canção, uns 7 anos atrás, inevitavelmente todos os anos que se seguiram, eu me recordo dela no dia do meu níver. Não tem explicação. Coisas malucas do nosso cérebro!

Passa da meia-noite, já é 17 de agosto, porém eu nasci 12h15, ou seja, não havia dado meu meu primeiro berro ao mundo a uma hora dessas! E tem mais, no meu orkut ainda marca 23 anos!!

Em contrapartida, não adianta fugir: daqui algumas horas farei 24 anos.

- A “flor da idade”, de acordo com a opinião de um aluno meu.

Certamente ele afirma isso, porque está razoavelmente longe de chegar aos seus 24. Aliás, quando ele chegar lá, não fará nunca 24 e sim 23 anos e 12 meses ou “20 mais 4 anos” como ele mesmo disse. Machismo bobo.

Comparando-se vantagens entre homens e mulheres, nós mulheres, tratando-se desta temida idade (para os homens), não precisamos nos preocupar em provar nada para absolutamente ninguém, já ELES creem que necessitam mostrar algo. 24 no dicionário masculino pode ser considerado praticamente como um “palavrão” dos mais feios.

UFA! Pelo menos dessa escapamos… Cabelos grisalhos em nós mulheres não é charme, perna peluda também não, mas o “24”? Desse fardo escapamos! rs*

Hoje faz um frio danado em Sanja! Uma frente fria veio do Sul… Geralmente agosto não faz mais tanto frio, é um mês ameno por aqui!Tanto que eu já havia guardado minhas roupas de inverno num cantão do guarda-roupa, para só vê-las novamente no próximo ano.

Eu sinceramente não me recordo de ter usado agasalho no dia do meu aniversário faz um bom tempo, muitos anos!

Será um sinal de que as mudanças irão continuar?

Digo isso porque os meus 23 anos foram cheios de decisões que precisei tomar que acabaram gerando muitas mudanças. Sem dúvidas foi uma etapa boa na minha vida, onde eu pude realizar alguns desejos, sonhos e objetivos. Graças ao bondoso Deus!

Mais um ano, mais um ciclo está prestes a se concluir para outro se iniciar… Eu nunca mais na minha vida terrena irei fazer 24 anos, é a primeira e última vez com certeza!

A verdade é que estou morrendo. Sim, isso mesmo que você acabou de ler. Uma das mais puras verdades na minha humilde opinião!

Seguramente “agora” para mim é menos um ano de vida, hoje foi menos um dia de vida, menos um minuto, um segundo.

Nossos dias estão todos exatamente contatos nas palmas da mão de Deus. O que você faria se tivesse apenas um mês para viver? Se soubesse quanto tempo tem para desfrutar a vida, se conhecesse a data final que estará gravada na sua lápide naquele dia?

O grande barato é esse!

Quando eu penso que “estou morrendo” isso me impulsiona a viver de forma mais intensa, pois me lembro que por enquanto não sou eterna.

Todos nós fomos criados para a eternidade, mas essa vida de “carne e osso” é limitada e equivale a um piscar de olhos perto da eternidade em que iremos viver.

Quando aceito que estou morrendo carnalmente, a tendência é fugir do prejuízo como: ignorar as pequenas banalidades com as quais às vezes me preocupo tanto, perdoar mais, abraçar mais, sorrir mais, elogiar mais, agradecer mais, amar mais. Isso me faz ser realmente grata pelo que tenho e deixar de supervalorizar o que não tenho.

Lembrar que hoje tenho menos para viver do que ontem, me faz ter outra perspectiva. Quando eu acredito que terei o amanhã eu deixo tudo, de fato, “para o amanhã”, para “alguma-feira” e assim os dias se vão.

Muitas vezes, de forma completamente inconsciente, acreditamos fielmente, sem duvidar, que Deus nos dará um novo nascer do Sol.

E quanto aos seus problemas? Os meus problemas? Dos menores ao maior.

Nós temos confiado Nele completamente? Conversando com nosso Pai Celeste antes de tomar qualquer decisão? Ou logo vamos resolvendo do nosso jeito?  Por que não acreditamos que Ele irá nos dar a provisão da mesma forma que acreditamos que haverá um novo dia para nós?

Espero que eu e você a partir de agora encaremos mais do que nunca, os nossos próximos minutos de vida, os nossos 24, 35, 50 anos… Se assim Deus nos conceder, como se cada momento valesse mais do que preciosos diamantes.

O tempo é o presente mais valioso que poderíamos ganhar de Deus!

Sendo assim, fica aqui o meu recado dos 24!rs*

O meu maior desejo nesta nova idade é que eu consiga, na total dependência de Deus, realizar os propósitos que Ele já reservou para mim! Amém!

Um maravilhoso dia a todos!

Sorrisos carinhosos. =)

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Falando em Bolinho Caipira…

No post anterior aqui do blog, falei tanto do famoso Bolinho Caipira que acabei chegando a conclusão de que não poderia deixar de dar maior ênfase sobre essa iguaria interiorana deliciosa.

Porém não vou passar a receita e nem contar a história de vida do Bolinho Caipira…( Só se alguém pedir, HUAhuaHUA).

O fato é que eu e alguns dos meus melhores amigos consideramos esse salgado the best, o mais gostoso e de sabor singular.

Tenho ótimas lembranças com meus amigos onde o Bolinho Caipira está presente! Entre eu e minha galera é assim: Não precisa de ocasiões especiais para se fazer o que tem vontade, o que dá na telha!!Claro: dentro das possibilidades e com muito juízo, rs*

Posso citar como exemplo o seguinte: Onde eu moro esse quitute é vendido entre os meses de maio a agosto e o forte mesmo, são os meses de junho e julho. Geralmente é consumido nas quermeses e festas de inverno típicas da região.

Contudo, se eu quiser comprar o “B.C.” em pleno mês de janeiro fica difícil achar para comprar! Euuuuu pelo menos, nunca vi e nem conheço nenhum estabelecimento que venda fora da época do frio e se existir alguém lendo isso que saiba, pode me falar!!

Graças a Deus, eu tenho amigos ou mães de amigos que sabem fazer um Bolinho Caipira fodástico!! Bem melhor do que se vende em muitas quermeses por aí…A Dona Fia, mãe da Tata, uma grande amiga, faz uns maravilhosos, com um temperinho sem igual, hummm…Sem exagero algum!

Portanto, sempre que bate uns desejos malucos por vontade de comer o “B.C.”, marcamos um dia e pronto. Esperar até maio/junho que nada!!

Aproveitamos a “vontade alheia” para reunir todos! Uns enrolam o bolinho, outros temperam a carne e alguns apenas comem, rsrsrs…Enfim, depois é só degustar ao som de muitas gargalhadas, porque onde está eu e minha thurma do bem, sempre tem sorrisos, bom papo e alegria para dar e vender!!

Não precisa de datas excepcionalmente especiais, pois especial todos os dias são, não precisa ser fim de semana, não precisa ser uma noite ou dia ameno, não precisa o recinto ser um palacete.

Na verdade do que precisamos mesmo são das pessoas que amamos ao nosso lado, dessa maneira, é impossível qualquer programa ser chato!

Se você nunca comeu, não sabe o que está perdendo!                                                                Grave este nome: BOLINHO CAIPIRA.                                                                           Aproveite a oportunidade para reunir a família e os amigos!                                                 Crie momentos para ser feliz e fazer outros felizes também!

Hummm…Falando em Bolinho Caipira, me bateu uma vontade!!                                            Tem farinha de milho amarela em casa, farinha de mandioca, carne moída, minha família reunida….Ahhh vou me arriscar a fazer!! Depois conto para vocês se fui bem sucedida…rs*

Fui!

P.S.:Os meus Bolinhos foram um SUCESSO! Não ficaram tão maravilhosos quanto os da Dona Fia, mas ficou gostoso…Para uma primeira vez, está ótimo! Fiquei feliz!Aliás, está semana me dei bem na cozinha, fiz um bolo de cenoura que ficou show!!(Muito modesta eu, não? rs*)

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , | 1 comentário

Revelando São Paulo 2010

Na primeira quinzena de julho, rolou um evento superlegal no Vale do Paraíba, em São José dos Campos: o Revelando São Paulo.

O objetivo do evento é  mostrar um pouco da cultura e gastronomia popular das cidades do Vale e Litoral Norte. (ADORO, rs*)

Para quem já foi, sabe como é…Guloseimas deliciosas, artesanatos, música ao vivo e dança fazem a grande festa do evento e tudo é típico! =)

Até este ano todas as suas temporadas em “terras joseenses” aconteceram no Pavilhão Gaivotas no Parque Municipal Roberto Burle Marx – mais conhecido como “Parque da Cidade”.

O ambiente é simples, porém, muito aconchegante, com ares bucólicos e amplo estacionamento.

Este ano eu fui e o único ocorrido que me deixou extremamente “chateada”, foi o fato de eu não ter degustado um BOLINHO CAIPIRA se quer!Snif!=(

Chegamos “tarde” perto da quantidade de coisas que existia para ver! Demoramos para olhar as barraquinhas de artesanato e na hora de comer, estavam encerrando!

Para não dizer que não comi nada , o que restou para comprar foi uma cocada e de “bebes” mandei para dentro uma coca-cola (coisa sem graça!!) e ainda ZERO! Affi!

Por esta razão, motivo, circunstância…Esqueça essa teoria brasileira: “Só mais cinco minutos”! O evento é encerrado às  22h em ponto, “britanicamente” falando…Não espere por mais tempo, que não terá!

Eu estava na fila, querendo comprar ao mínimo um pão com calabresa, mas às 22h o pessoal da prefeitura apagou as luzes. Logo em seguida já foram recolhendo as mesas e cadeiras, praticamente uma expulsão!!Não tiveram dó e nem piedade!

Não deu tempo de eu pedir o pão e foi assim que acabei ficando somente com a coca zero (que nem é bebida típica, hehehe) e a cocadinha! Ah, e claro, compramos alguns artesanatos gracinha!! rs*

Algo muito importante que preciso ressaltar também é que se você não gosta de uma muvuca básica, nem vá! Mas para se ter uma nítida noção, a muvuca do Revelando perdi longeeee comparando-se com a muvuca da 25 de março/ SP, nas vésperas do Natal, ou seja, é suportável!rs*

Cada ano que passa o público aumenta, afinal são pessoas que chegam de todos os cantos do Vale do Paraíba, Litoral Norte, Sampa e até arrisco dizer que vem pessoas de outros estados do Brasil!

Mas não se preocupem, o Parque tem 516 mil metros quadrados. Se precisar de mais espaço, não será este o problema!

Tirei algumas fotos amadoras, porém não do espaço, apresentações musicais e culinária(infelizmente!), mas sim dos artesanatos que mais me chamaram a atenção! Alguns tem até os preços à mostra, HUAhuaHUA!

Espero que vocês se animem para visitar o evento em 2011!

Coruja esculpida na madeira - By Sabrina de Sá

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , , | 1 comentário

Silêncio Falado

É curioso como grande parte das coisas mais importantes (ou muito importantes) na vida nos acontecem de maneira tão simples, em ocasiões que consideramos banais e que pode facilmente passar “em branco” por nós.

Semana passada fui ao dentista, plena segunda-feira, quatro horas da tarde. Nada de excepcional, pelo contrário, bem corriqueiro.

Fui colocar o “separador” nos dentes. Quem já usou aparelho fixo ou já ouviu alguém queixar-se do “separador”, sabe ou imagina o quão chato esse tréco é!

Como a dentista já havia  colocado o separador na parte superior dos meus dentes, eu conhecia bem o incômodo que o “danado” causava e já fui preparada para o que viria num futuro próximo, rs*

Cheguei ao consultório, assisti TV enquanto aguardava minha vez. Logo a alegre e alto astral “Drª Dentista”  me chamou.

Sentei na “cadeirinha do medo” e desde então comecei a reclamar:

- De todas as etapas para colocar o aparelho fixo nos dentes, esse “negócio” é o mais chato, o que mais irrita…Incomoda demais! E na hora de dormir? Da outra vez perdi o meu sono a noite inteira e blá-blá-blá…

Só parei de reclamar porque estava na dentista! Boca aberta e pronto, impossível falar sem parecer gagá.

- Mas e aí? O que tanto te  impressionou? Você deve estar se perguntando, talvez.

Enquanto eu reclamava, minha dentista permaneceu calada, sem dar um “piu”!

De imediato aquilo me causou certo incômodo. Afinal, nem para fazer uma piadinha do tipo: “ah, para de ser medrosa, depois você não precisará passar por isso” ou “ah! que exagero, nem irrita tanto assim”.

A caminho de casa fiquei a refletir o porquê de ter sentido tal incômodo e assim formando minhas idéias…

Como pode o silêncio falar tanto?

Eu ali deitada naquela cadeirinha, tendo a oportunidade de cuidar dos meus dentes…Quantas pessoas muito mais necessitadas que eu, gostariam de estar ali também? E eu só a reclamar, enxergando essa situação de forma negativa, sendo que terei muito mais a ganhar.

Entretanto, o que é uma noite de sono perdida perto de muitas outras  em que tive e terei um sono tranquilo?

O silêncio da minha dentista disse muito mais do que se ela tivesse feito uma piadinha, feito qualquer outra observação ou simplesmente ignorasse, falando sobre outro assunto, ficasse alheia ao fato.

Sei que a “Drª Dentista” neste momento em que eu reclamava, podia estar a pensar “n”coisas. Talvez ela ouviu o que eu disse, mas não escutou, talvez os pensamentos dela estivessem no que ela iria fazer depois que saísse do trabalho ou talvez estive muito concentrada no que fazia. Tantas hipóteses.

Contudo, o silêncio dela representou isso para mim.                                                   Representou gratidão: Sentimento este que precisa ser consolidado por nós com atitudes, com palavras de agradecimento a Deus e as pessoas, todos os dias.                         Sentimento este que sempre bate a porta do nosso coração, pedindo para entrar.

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Primeiras Considerações

Recentemente iniciei minha vida de “teacher” numa escola do Estado.
Uma escola bem significante para mim, pois é a mesma escola onde passei dez anos da minha vida estudantil.

Apenas na quarta série fui para outra escola, onde fiquei apenas um ano, porque cheguei a pegar aquele tempo (pois é!!), de que os “grandões” do terceiro colegial estudavam com os “pequeninos” da primeira série.

Justo no meu último ano do primário, o Governo separarou os grandões dos pequeninos, assim tive que mudar para outra escola para fazer o quarto ano!Mas na quinta retornei para a querida escolinha!

Enfim…Estou nesta mesma escola, trabalhando como eventual, ou seja, só ganho dimdim quando um professor falta e quando alguém falta eu entro em cena, para a substituição.Detalhe: Professor eventual é “pau pra toda obra”, isso quer dizer que se eu sou formada para dar aulas de história, por exemplo, eu não preciso necessariamente dar aulas somente de história, mas sim de todas as disciplinas, o que pintar!

Algo que achei “engraçado”, se assim posso dizer, é entrar na sala de professores e encontrar meus antigos professores lá. Ontem eles foram meus professores, mas hoje são “companheiros de trabalho”.

As minhas primeiras aulas foram substituição de cinco aulas de português, no período noturno. Era para eu ter “estreado” dias antes, mas por falta de uma série de documentos que eu precisava apresentar, não foi possível!

Contudo, sendo sincera, (primeiramente para mim mesma), no fundo, no fundooo, senti um tremendo alívio por a escola ter colocado o lance da falta dos documentos como empecilho para eu começar a trabalhar!

Não pense que é preguiça, rs, nada disso!Fiquei enrolando quase uma semana para preparar tudo, na verdade, porque estava com a maior insegurança, queria “deixar para depois” o máximo que fosse possível.

É muito mais fácil para nós, continuarmos a nossa mesma “vidinha” de sempre, fugir por insegurança, do que expandir. Sair da área de conforto dói. Por isso dizem que corajoso não é aquele que não sente medo, mas sim, aquele que enfrenta seus próprios medos, eis aí um homem verdadeiramente corajoso, o que é capaz de vencer a si mesmo.

A inspetora da escola me pegou de supresa, me ligou às 18h15 falando que tinha essas aulas, e que eu deveria chegar lá por voltas das 18:50h! Ainda bem que minha casa é superpróxima da escola!=)

Na hora fiquei aflita, pois não tinha nada preparado e seria minha primeira apresentação como professora, diante de uma classe…Frio na barriga TOTAL!

A inspetora não me deu alternativa, ela praticamente colocou o SIM na minha boca e minutos depois lá estava a Sabrina.Tinha que ter sido assim, algumas vezes só saimos do lugar com um pontapé! rs*

Graças a Deus, a professora que eu iria substituir estava na escola e me passou as coordenadas. UFA! E assim fui que fui…A ansiedade foi enorme antes de entrar na sala, depois que você está lá, passa.

Por isso na maioria das vezes não devemos dar ouvidos aos nossos medos, ou deixar que eles tomem conta de nós. Infelizmente tendemos a transformar tantas situações em nossas vidas em um “bicho de sete cabeças”, e quando vamos ver “qual é a real” disso e daquilo, nem é tudo aquilo que pensávamos outrora.

Sofremos menos para o que deveríamos sofrer mais e sofremos demais para o que deveríamos sofrer menos.

Estou feliz, eu estava pedindo a Deus por uma oportunidade dentro do que eu havia me formado, e tenho a plena convicção de que foi Ele quem colocou esse trabalho no meu caminho, claro, usando a vida de outras pessoas.

E o melhor de tudo, é saber que eu sirvo um Deus que faz milagres e que gosta de nos supreeender sempre!

Sei que é apenas o começo, pois se eu fizer minha parte, tomando iniciativa, tendo atitudes que contribuam para a concretização dos meu sonhos, eu creio que Deus fará a parte Dele e muito, muito além do que minha visão humana, extremamente limitada possa ver!

Vou encerrar o post com uma frase que eu sempre costumo dizer:                                          “O melhor de Deus sempre está por vir”!
Basta apenas crer.

Publicado em Profissão Professor | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Devaneios

Sabe aqueles momentos, que trazem uns pensamentos completamente insanos?
Vire e mexe eu os tenho, rs*
Mas de um, saiu esse poema, prosa, sei lá o que é, não sei definir (se alguém souber, me fale ok?), huahuahua.
Porém, existe uma certeza, se trata de algo bem “viajante”!
O título já é bem sugestivo!

Utopias de uma desvairada

Pular nas nuvens
Tocar uma estrela
Escorregar nos anéis de Saturno
Conhecer todos os países do mundo
Achar um tesouro nas profundezas do mar
Pensar como “cachorro” pelo menos durante uma hora
Atravessar todo Oceano Atlântico flutuando com meu corpo pelas águas
Falar todos os idiomas que existem
Voar pelo céus afora em um tapete mágico…Ou em “caso extremo”, aceitaria uma vasoura de fada (rs*)
Fazer uma descoberta matemática
Me teletransportar para a Lua (e que não me falte oxigênio!)
Tornar um conto de fadas real
Andar pelos Alpes Suiços de bicicleta (sem cair e fazer feio)
Chegar bem perto do Sol e não “torrar”, (rs*)
Ver nos noticiários da TV que o Bin Laden foi preso
Pegar carona numa estrela cadente
Casar com o Reynaldo Gianecchini, com direito a lua de mel em Vênus
Experimentar todos os dons artísticos existentes e criar alguns outros
Que todos os seres humanos transpordem amor
Ah! Como poderia esquecer?                                                                                                       Que todas as baratas sejam extintas completamente!

E aí, e você?
Tem alguma utopia maluca para compartilhar?

P.S.: Utopias eternamente em desenvolvimento.

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , | 1 comentário